Devo trocar um Jeep Renegade por um Fiat Pulse 1.3 aspirado?

Leitor quer saber mais detalhes sobre o futuro modelo da Fiat e pediu nossa ajuda
Fiat Pulse 2022

Fiat Pulse 2022 | Imagem: Divulgação

Boa noite, sou fã do seu trabalho há bastante tempo 👏. Tenho um Jeep Renegade Sport 2019 AT com 18 mil km. Por conta dos problemas crônicos do trocador de calor, não é dar pra permanecer fora da garantia. O Jeep turbo deve ficar muito caro. Vejo no Fiat Pulse uma opção. Acho esse motor 1.3 quatro cilindros 8 válvulas aspirado, sem complicações. Esse motor vai dar conta de arrastar o Pulse ? E o consumo ? Esses motores tricilindros, com turbo e injeção direta, a longo prazo, a manutenção vai ser muito cara - pergunta enviada por Aluizio 

Aluizio obrigado por enviar sua pergunta e participar do Guru dos Carros

Desde já agradeço por acompanhar meu trabalho, conto sempre com a sua audiência! 

Muito em breve, no caso já no próximo dia 19, teremos a apresentação definitiva do Fiat Pulse, na qual vamos conhecer seu leque de versões, motores e os principais detalhes da novidade. 

É provável que as versões mais acessíveis contem com o 1.3 Firefly sob o capô, podendo operar tanto com o câmbio manual como o automático CVT. Algo a conferir. 

De qualquer forma, considerando que, mesmo no sedã compacto Cronos o motor 1.3 Firefly oferece nível de performance bastante aceitável, no caso do Pulse o mesmo comportamento deverá ser encontrado. 

Além de desempenho satisfatório, outra vantagem que observamos na dupla Cronos/Argo com motor 1.3 aspirado é o baixo consumo, algo fundamental em qualquer automóvel moderno. 

É importante destacar que o motor 1.3 Firefly não conta com turbo e sua injeção é do tipo indireta convencional, portanto seu custo de manutenção será baixo. 

Já sobre as versões mais caras do Fiat Pulse, provavelmente com o 1.0 tricilíndrico turbo (GSE) sob o capô, ainda é muito cedo para avaliarmos o motor sobretudo do ponto de vista da robustez mecânica. 

Entretanto, vale pontuar que, além de fabricado localmente, a divisão brasileira da Stellantis esteve amplamente envolvida no desenvolvimento e na nacionalização do propulsor, fazendo com que ele esteja adequado ao nosso combustível e condições do país. Algo importante considerando o projeto sofisticado da família GSE, que contempla injeção direta e o sistema MultiAir de comando de válvulas variável.  

Logo, a tendência é que o motor 1.0 GSE conte com manutenção alinhada em termos de custos com seus pares. Claro que ele é um motor bem mais sofisticado em relação ao 1.3 Firefly, contudo entrega nível de eficiência consideravelmente superior. 

Em resumo, se o Fiat Pulse lhe atender em termos de espaço interno e porta-malas, ele poderia ser um interessante candidato a substituto do seu Jeep Renegade atual. 

Espero ter ajudado! 

 

Pergunte para o Guru dos Carros!

Tem uma dúvida a respeito de um veículo que está interessado? Envie sua questão para o Guru!


Clique no botão abaixo e acesse o formulário.

Pergunte para o Guru