Leitor entusiasta de sedãs: seguir na categoria ou partir para um SUV?

Atual proprietário de um Chevrolet Vectra deseja um novo automóvel para rodar no dia a dia
Volkswagen Jetta 2019

Volkswagen Jetta 2019 | Imagem: Divulgação

Olá César, sou entusiasta de Sedãs, tenho um Vectra Sedã 2010, que é o meu xodó há 11 anos, já tive outros carros paralelas a ele, como Classic, Celta, Voyage etc e tal. Irei comprar outro carro e deixar o meu xodó descansando pela semana, você me indicaria mais um sedã como o Cruze, Jetta ou Civic, ou então partiria para um SUV como o T-Cross ou Tracker? Muito obrigado pela sua atenção! - pergunta enviada por Eraldo

Eraldo obrigado por enviar sua pergunta e participar do Guru dos Carros

Muito interessante a questão levantada por você, uma vez que, com a ascensão dos SUVs, cada vez mais consumidores de outras categorias se perguntam a respeito de uma eventual migração para o segmento. 

Particularmente falando, Eraldo, levando em conta que você é um entusiasta de sedãs, eu recomendaria permanecer na categoria. 

De maneira geral, quando comparamos SUVs e sedãs de porte equivalente (SUVs compactos com sedãs compactos, SUVs médios com sedãs médios, etc), a tendência é que os três volumes entreguem um custo-benefício muito mais vantajoso e interessante. 

Além disso, vale a pena colocar na balança a posição de dirigir mais envolvente dos sedãs, bem como seu comportamento dinâmico, de certa forma, mais esportivo.

Não seria muito correto traçarmos um paralelo entre o Cruze e o Tracker dentro da linha Chevrolet uma vez que estamos falando de um sedã de médio porte comparado a um SUV compacto, porém, se tomarmos como exemplo a gama Volkswagen, hoje você encontra o Jetta tabelado em R$ 136.340 na versão Comfortline já equipado com os principais recursos de conforto e segurança. Seu equivalente entre os SUVs no portfólio da marca será o Taos, a ser lançado em breve mas que certamente deverá contar com preço gravitando na faixa dos R$ 150 mil. Já relação ao T-Cross, por sua vez, o Jetta entrega bem mais em termos de porta-malas, espaço interno, entre outros atributos. 

Talvez, pensando no longo prazo, SUVs terão maior liquidez na hora da revenda bem como uma desvalorização mais comedida, contudo não utilizaria apenas esse ponto para balizar a decisão de compra, em especial no seu caso que já tem uma boa relação com os modelos três volumes. 

Logo, creio que permanecer entre os sedãs parece uma boa pedida. 

Espero ter ajudado! 

Pergunte para o Guru dos Carros!

Tem uma dúvida a respeito de um veículo que está interessado? Envie sua questão para o Guru!


Clique no botão abaixo e acesse o formulário.

Pergunte para o Guru