''Medo do turbo'': SUV com motor 1.0 é uma boa?

Leitora considera a compra de um SUV compacto com motor sobrealimentado e pediu nossa análise
Chevrolet Tracker 2021

Chevrolet Tracker 2021 | Imagem: César Tizo

Penso em trocar minha EcoSport SE 1.5 automática 2017/2018 por uma Tracker LT automática zero quilômetros 1.0 turbo. Seria uma boa troca ou não? Tenho medo do motor 1.0. Eu estaria regredindo no carro? A Tracker não é muito pesada para esse motor 1.0? - pergunta enviada por Karla 

Karla obrigado por enviar sua pergunta e participar do Guru dos Carros

É natural que, na medida em que uma nova tecnologia/solução vai ganhando espaço, os consumidores passem a dedicar especial atenção a ela. 

Hoje em dia os propulsores sobrealimentados de menor deslocamento (solução que ganhou o nome de downsizing) já são amplamente utilizados pela indústria automotiva e têm sua durabilidade e eficiência comprovadas. 

Graças a eles, é possível oferecer carros com o mesmo nível de performance de alguns anos atrás com motores com a metade do deslocamento e consumo muito menor, além, é claro, de um baixo nível de emissões de gases poluentes para a atmosfera. 

O caso citado por você é bem interessante. Seu EcoSport SE 1.5 2018, por exemplo, conta com 137 cv e 16,1 kgfm de torque com etanol. Ele precisa de 11,8 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e entrega médias de 10,3 km/l na cidade e 12,6 km/l na estrada com gasolina. 

O Chevrolet Tracker LT com seu 1.0 turbo, por sua vez, tem a disposição até 116 cv e supera o EcoSport SE 1.5 em torque, atingindo pico de 16,8 kgfm. Ele acelera de 0 a 100 km/h em um tempo relativamente menor (10,9 segundos) e ainda entrega parciais de 11,9 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada, ambas com gasolina como no caso do Ford. Fica clara a vantagem em termos de eficiência para um propulsor sobrealimentado? 

A bordo do Tracker você terá um modelo que entrega desempenho superior e ainda consome bem menos combustível para isso. Logo, você estará fazendo uma notável evolução em termos de conjunto mecânico.

Isso sem falar que o Chevrolet ainda tem a ajuda do start-stop, que faz com que você economize ainda mais combustível durante uso urbano. 

Se lá no passado os motores turbo tinham fama de pouco confiáveis ou com uma manutenção onerosa, hoje os projetos modernos acabaram com essa "peculiaridade" e um propulsor como o do Tracker tem a mesma robustez de um motor aspirado, além de ser tão acessível de manter quanto. 

Além do Tracker, hoje o Volkswagen T-Cross também aposta na tecnologia em seus catálogos 1.0 TSI e o Hyundai Creta também deverá receber um motor semelhante até o fim deste ano quando estrear seu facelift no Brasil. Portanto, fica claro que os motores 1.0 turbo são um caminho sem volta para diversos SUVs graças a todas as vantagens apontadas. 

Espero ter ajudado!  

Pergunte para o Guru dos Carros!

Tem uma dúvida a respeito de um veículo que está interessado? Envie sua questão para o Guru!


Clique no botão abaixo e acesse o formulário.

Pergunte para o Guru