Por que o consumo oficial do carro (quase sempre) difere do observado na prática?

Leitor está insatisfeito com o consumo do seu Chevrolet Tracker 2022 com motor 1.2 turbo
Consumo real muitas vezes difere dos valores oficiais

Consumo real muitas vezes difere dos valores oficiais | Imagem: Divulgação

Possuo um Chevrolet Tracker 1.2 turbo 21/22, cuja compra foi pensando no consumo. O problema é que o carro não faz o prometido gastando alem da conta. 8.6 kms na gasolina na cidade e 6.3 no alcool - pergunta enviada por Wilson 

Wilson obrigado por enviar sua pergunta e participar do Guru dos Carros

Muito bom o ponto trazido por você, uma vez que nos permite abordar razões pelas quais o consumo observado no dia a dia algumas vezes fica longe do que encontramos em dados oficiais, como é o caso do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular.

Sobre o Chevrolet Tracker em questão, o PBEV aponta como referência para o SUV com motor 1.2 turbo médias de 7,7 km/l na cidade e 9,4 km/l em ciclo rodoviário quando abastecido com etanol. Utilizando gasolina, as parciais ficam em 11,2 e 13,5 km/l, respectivamente. 

Notamos, portanto, uma pequena defasagem para o que você observa na prática, Wilson. 

Isso pode ocorrer por uma série de razões, tais como: 

- Distância percorrida em cada deslocamento: se você rodar com o carro por cerca de um a dois quilômetros, por exemplo, estacionando logo em seguida, é fato que as parciais de consumo urbano serão sensivelmente menores em relação aos números oficiais. Por outro lado, ao realizar uma viagem mais longa, trafegando em uma rodovia a velocidades constantes, será nítido como o consumo será muito melhor. 

- Incidência de engarrafamentos constantes: por mais que modelos como o seu Tracker 1.2 turbo conte com recursos que buscam favorecer a eficiência na cidade, como é o caso do start-stop, o "anda e para" do trânsito nos grandes centros urbanos acaba resultando em um efeito profundo nas médias de consumo. Vale destacar que os padrões do Inmetro utilizados no PBEV contemplam ensaios e simulações de um veículo trafegando em diversos cenários de uso, porém a realidade acaba sendo diferente em alguns casos, o que explica as discrepâncias nas médias oficiais. 

- Qualidade do combustível: eis um ponto que impacta diretamente nos dados de consumo, uma vez que combustíveis de menor qualidade certamente irão afetar o funcionamento correto do motor. Logo, é interessante buscar abastecer sempre em locais de confiança. 

- Estilo de condução: é fato que motoristas que preferem realçar a esportividade na condução, muitas vezes "esticando" as trocas de marchas ou acelerando bruscamente o automóvel, vão registrar um aumento natural do consumo, ao contrário de quem opta por dirigir, como se diz na gíria, na "casquinha", ou seja, dosando com suavidade o acelerador.  

Em resumo, os motivos acima podem explicar porque alguns motoristas muitas vezes podem aferir médias de consumo que destoam dos dados oficiais. 

De qualquer forma, voltando ao caso do Wilson, podemos dizer que a diferença em torno de 1 a 1,5 km/l entre os dados do PBEV e o que ele tem obtido na prática podem ser apontados como naturais dentro do contexto do que foi descrito até aqui, não despertando quaisquer sinais de alerta para problemas mecânicos no veículo. 

Por fim, é importante ressaltar que iniciativas como o PBEV servem apenas como uma referência, não necessariamente estabelecendo o consumo real de cada automóvel. 

Espero ter ajudado! 

Pergunte para o Guru dos Carros!

Tem uma dúvida a respeito de um veículo que está interessado? Envie sua questão para o Guru!


Clique no botão abaixo e acesse o formulário.

Pergunte para o Guru