SUVs na faixa de R$ 160 mil: novo Forester, RAV4 Hybrid ou um Compass Longitude diesel?

Leitor trouxe a excelente dúvida para o Guru responder; confira nossa análise
Subaru Forester, Jeep Compass e Toyota RAV4

Subaru Forester, Jeep Compass e Toyota RAV4 | Imagem: Montagem Autoo sobre fotos de divulgação

Olá, Queria saber a sua opinião sobre três modelos de SUVs na faixa dos R$ 160 mil. São eles os novos Toyota RAV4 S Hybrid e Subaru Forester S e também o Jeep Compass Longitude nas versões 4x4.Obrigado - pergunta enviada por Marcelo

Marcelo obrigado por enviar sua pergunta e participar do Guru dos Carros

A questão colocada por você é excelente e ao mesmo tempo bastante complexa para ser respondida, uma vez que você selecionou três automóveis, pelo menos na minha opinião, com um repertório imenso de qualidades. 

A favor da nova geração do Subaru Forester (R$ 159.000) reside todo o legado de robustez mecânica, cuidado construtivo e um enorme zelo no projeto de seus veículos que construíram a reputação da marca Subaru ao longo dos anos. Isso é claramente notado na mais recente atualização do Forester. Beneficiado pela nova arquitetura modular da fabricante japonesa, o modelo ganhou ainda mais em segurança, comportamento dinâmico e silêncio a bordo, também melhorando no espaço interno e capacidade de carga no porta-malas. Um excelente modelo familiar, o Forester ainda tem no sistema de tração integral simétrica um forte aliado seja do ponto de vista da segurança dinâmica como também caso você queira se aventurar por vias afastadas do asfalto. Demanda um investimento de R$ 10.000 em relação ao Forester de entrada, mas o pacote EyeSight também coloca o crossover um pé de igualdade com os rivais quando falamos de assistentes de condução, reunindo no opcional o alerta de colisão com frenagem automática de emergência, piloto automático adaptativo, entre outros. 

O Jeep Compass, por sua vez, tem na configuração Longitude diesel (R$ 161.990) uma das mais procuradas pelos consumidores e não é sem razão. Se o propulsor 2.0 flex exagera um pouco no consumo e confere acelerações e retomadas apenas razoáveis para o Compass, o motor 2.0 turbodiesel entrega o ânimo que se espera de um carro como o Compass. Além disso, seu câmbio automático de 9 marchas ajuda na economia de combustível, enquanto a tração integral, item de fundamental importância quando falamos em segurança ativa, também está presente na configuração. Do ponto de vista comercial, talvez seja no Compass o modelo em que você encontrará maior liquidez na hora da revenda, bem como uma desvalorização mais comedida. 

O Toyota RAV4 é o mais caro do trio, com valor tabelado em R$ 167.990 na opção de entrada S 2.5 L AWD Hybrid, mas o seu ponto forte reside no conjunto propulsor. Ao mesclar três propulsores elétricos, um deles no eixo traseiro, com o motor 2.5 a gasolina, o modelo consegue não só entregar um sistema de tração integral mais leve e eficiente, uma vez que dispensa o eixo cardã, bem como atinge números de consumo dificilmente equiparados por qualquer um dos outros dois modelos citados aqui. A Toyota divulga médias oficiais de 14,3 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada, mas já tive a oportunidade de avaliar a novidade (em breve você confere o teste completo no Autoo) e facilmente registrei médias de 20 km/l em percurso rodoviário. 

Como é possível conferir em um breve resumo dos três carros, sobram vocações para esses três automóveis. 

Em resumo, creio que, pelo conjunto, a compra do Toyota RAV4 Hybrid na faixa de R$ 160.000 é uma escolha mais sensata. 

Qualquer um dos três SUVs reunidos aqui dificilmente não deixaria seu proprietário satisfeito, mas, além de oferecer tudo o que os rivais entregam, em especial a presença da tração integral, o Toyota RAV4 ainda é benefíciado com um nível de eficiência ímpar dentro do segmento. Além disso, por se tratar de um projeto recente, sua cabine é muito ampla e espaçosa, bem como o porta-malas para 580 litros de bagagem vai agradar as famílias mais exigentes. O acabamento interno e a qualidade de montagem também são nota 10, uma pena que a central multimídia só ofereça o sistema Mirror Link para espelhamento de smartphones, o que deixa a desejar em termos de conectividade. Como a Toyota recentemente trouxe a oferta do Apple CarPlay e Android Auto para a linha Yaris 2020 e os protocolos de espelhamento deverão figurar também na nova geração do Corolla, quem sabe eles também não cheguem posteriormente ao RAV4 Hybrid. Tanto o Forester em sua nova geração como o Compass Longitude diesel contam com centrais multimídias hoje em dia mais sintonizadas com as demandas dos consumidores. 

Como dito no início de sua resposta, a escolha entre o novo Forester, o Compass diesel e o RAV4 Hybrid está longe de ser simples, mas ao optar pelo Toyota você estaciona na garagem de casa um modelo que se destaca (muito) em especial pela eficiência, reduzindo o consumo de combustível e emissões sem sacrificar o desempenho graças ao seu conjunto eletrificado que entrega 222 cv de potência combinada. Temos, portanto, um carro singular e muito completo sob vários aspectos. Talvez, sem medo de errar, uma das compras mais interessantes hoje em dia no mercado por essa faixa de valor. 

Espero ter ajudado!   

Pergunte para o Guru dos Carros!

Tem uma dúvida a respeito de um veículo que está interessado? Envie sua questão para o Guru!


Clique no botão abaixo e acesse o formulário.

Pergunte para o Guru